Mais protestos, bloqueios, greves e ocupações!

contra-os-ataques-do-governo-temer

O governo Temer quer piorar a saúde, a educação e outros serviços públicos. Quer retirar os direitos trabalhistas assegurados pela CLT (Convenção das Leis do Trabalho), dificultar e reduzir a aposentadoria. Sendo assim, esse governo está atacando os trabalhadores, a população pobre, que é quem mais precisa dos serviços públicos, e os jovens que precisam estudar para conseguir emprego. Para lutar contra isso, os trabalhadores estão fazendo protestos nas ruas, paralisações e greves nacionais e os estudantes estão fazendo ocupações (já são mais de 1200 ocupações em escolas e universidades).

Para congelar o orçamento para os serviços públicos nos próximos 20 anos, o governo quer impor o mais rápido possível a PEC 55 (antiga PEC 241). O objetivo disso é reduzir os gastos, o que com certeza irá piorar esses serviços. Por exemplo, o SUS será duramente prejudicado, dado que a demanda por mais atendimentos exige mais gastos e não menos.

A reforma trabalhista permitirá que as negociações entre sindicatos e patrões tenham mais importância que os direitos trabalhistas estabelecidos na CLT. Isso ameaça a garantia do direito de férias, 13° salário, horas extras, dentre outros. Permitir que o acordado tenha mais valor do que a lei é o fim da CLT, o resultado disso será a retirada de direitos de milhões de trabalhadores.

Outro ataque aos direitos trabalhistas é a ampliação sem limites da terceirização pela PLC 30/2015. Essa ampliação significa aumentar as contratações com salários mais baixos, condições precárias de trabalho e até mesmo sem direito algum.

Com a Reforma da Previdência, a idade mínima para aposentar será de 65 anos, tanto para homens quanto para mulheres, sejam trabalhadores da cidade ou rurais. Será necessário trabalhar mais para poder um dia se aposentar. Além disso, os valores das aposentadorias serão reduzidos, já que não serão mais reajustados de acordo com o valor do salário mínimo.

O governo Temer pretende atacar a saúde e a educação, os direitos trabalhistas e a aposentadoria para transferir mais dinheiro para o pagamento de juros da dívida pública. Ou seja, age contra nós para pagar os juros de uma dívida que beneficia os banqueiros, que são os que tem mais poder para mandar no Brasil. Para forçar o governo a recuar, precisamos ampliar nacionalmente as manifestações, o fechamento de rodovias, as paralisações, greves e ocupações.

Greve geral para barrar os ataques!
Fora Temer!

Os comentários estão desativados.